Dominar outro idioma facilita a internacionalização de negócios

Dominar um segundo ou terceiro idioma pode contribuir para a geração de novos negócios e a expansão das fronteiras de empresas, é o que afirma o especialista em idiomas Reginaldo Boeira, CEO da KNN, uma das maiores redes de escolas de idiomas do Brasil com cerca 180 mil alunos em todos os estados do país. Segundo dados do Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae), do total de empresas exportadoras 34,4% eram micro e pequenos negócios em 2021, além de responder por 72% dos empregos gerados no Brasil. Para Boeira, as pessoas que falam outro idioma além do português, como: inglês, francês, espanhol ou até mesmo alemão têm mais facilidade na hora de negociar com representantes de outros países, o que contribui para o crescimento econômico através da expansão internacional de negócios.

“O mercado no Brasil é gigantesco, interminável, entretanto, você vender em real é uma coisa, em dólar e euro é outra. Existe uma grande oportunidade para que os brasileiros desbravem o mercado lá fora. Dominar outra língua traz independência porque a pessoa pode pesquisar sozinha sobre o seu próprio negócio e estar atento às oportunidades de um mundo sem fronteiras. Poderíamos ver um ‘boom’ ainda maior de pequenas empresas aproveitando as facilidades do mundo globalizado se mais pessoas fossem bilíngues”, comenta Boeira.

Apesar de apenas 5% da população brasileira falar inglês, segundo pesquisas, o aumento na procura pelo aprendizado de um novo idioma tem sido observado. A KNN Idiomas registrou crescimento de 20% em 2021 e projeta mais 20% para 2022. O número de alunos também saltou de 150 mil para 180 mil alunos nos últimos meses. “O país tem um baixo percentual de pessoas que falam inglês, mas cada vez a população está se conscientizando da importância de um segundo idioma e tem buscado esse tipo de formação”, detalha o especialista.

Cresce a procura pelo espanhol

Com acordo comercial que reduz tarifas entre Brasil, Argentina, Paraguai e Uruguai, além de outros países associados como Bolívia, Chile, Peru, Colômbia, Equador e Venezuela, um dos blocos econômicos mais importante para a América Latina, o Mercosul, também gera reflexos na procura por idiomas e oportunidades para quem fala o espanhol.

“Hoje, cerca de 80% dos alunos estão matriculados no curso de inglês, mas percebemos um aumento na procura pelo espanhol, principalmente do ano passado para cá. Com certeza, esse é um reflexo da parceria comercial que o Brasil possui com outros países da América Latina e da busca por estudos no exterior em países vizinhos, mas também da visibilidade que a cultura latina tem ganhado, inclusive por meio da indústria do entretenimento, como músicas, séries e filmes,” explica Reginaldo Boeira.

 

Sobre o Autor
Reconhecido pela sua diferenciada visão empreendedora e sucesso baseado no sistema de gestão humanizada, Reginaldo Boeira detém empresas de diversos setores, entre elas, a KNN, que entrou para o segmento de franquias em 2014.

Categorias :

Compartilhe:

Related Post

Pesquisar

Fique por Dentro

Receba novidades em seu email